ALEXANDER AKSAKOFF




Nasceu em Repievka (Rússia) em 27/05/1832 e desencarnou na cidade de S. Petesburgo (posteriormente denominada Leningrado) em 04/01/1903.

Foi um dos grandes cientistas que se notabilizaram na investigação e análise dos fenômenos espíritas no século passado. Era Doutor em Filosofia e conselheiro íntimo de Alexandre III, Tzar de todas as Rússias.

Em sua mocidade, sempre tendeu à seriedade, preocupando-se com investigações sérias, o que o levou a enfrentar prolongados anos de dificuldades espirituais e sociais.

Conquistando o pergaminho de Doutor, enveredou pelos árduos caminhos que conduzem ao êxito no campo do conhecimento, tornando-se professor da Academia de Leipzig, na Alemanha.

Integrou-se resolutamente no campo da investigação psíquica e tornou-se diretor do jornal "Psychische Studiem", periódico publicado na Alemanha. Não satisfeito com o seu trabalho na direção daquele órgão, lançou, em Moscou, no ano de 1891, a revista de estudos psíquicos "Rebus", a primeira do gênero na Rússia.

Sustentou viva polêmica com o filósofo alemão Dr. Von Hartmann, no decurso da qual refutou, com sobeja superioridade científica e demonstrações irretorquíveis, as explicações do sábio alemão sobre os fenômenos espíritas, aos quais atribuía um fundo biológico.

Aksakoff efetuou numerosas experiências e observações no campo científico, tendo realizado trabalhos tão profundos, tão interessantes, que até hoje jamais foram esquecidos em matéria de espiritismo experimental. E para a consecução dessa finalidade, valeu-se do valioso concurso da célebre médium italiana Eusápia Paladino. Fundamentado nesses trabalhos, publicou na Alemanha o seu famoso livro "Animismo e Espiritismo", em dois volumes, obra insuperável em todo o mundo.

Mais tarde, com o valioso concurso dos médiuns Elisabeth D'Esperance e Politi, além da já mencionada Eusápia Paladino, o grande criminalista italiano Cesare Lombroso expõe, de forma definitiva, o resultado de suas experiências, realizadas quinze anos depois. Esse trabalho de Lombroso fortaleceu de forma decisiva tudo aquilo que Aksakoff havia descrito em sua obra.

O livro de Aksakoff "Animismo e Espiritismo" foi uma réplica à brochura que o célebre filósofo alemão Von Hartmann - continuador de Schopenhauer - fez editar em 1885, abordando aspectos do Espiritismo.

Escreveu ainda Aksakoff, em fevereiro de 1890: "Interessei-me pelo movimento espírita desde 1855 e, desde então, não deixei de estudá-lo em todas as suas particularidades e através de todas as literaturas. Em 1870, assisti à primeira sessão, em um círculo íntimo que eu tinha organizado. Não fiquei surpreendido de verificar que os fatos eram reais, e adquiri a convicção profunda de que eles nos ofereciam - como tudo o que existe na Natureza - uma base verdadeiramente sólida, um terreno firme para a fundação de uma ciência nova, que seria talvez capaz, em um futuro remoto, de fornecer ao homem a solução do problema da sua existência. Fiz tudo o que estava ao meu alcance para tornar os fatos conhecidos e atrair sobre o seu estudo a atenção dos pensadores isentos de preconceitos".