A R T I G O S




XIV- UM POUCO MAIS DE ESPIRITUALIDADE

Façamos uma análise: De uma população qualquer (pode-se utilizar como medida uma cidade, um país, um vilarejo ou até o planeta), qual a porcentagem das pessoas ligadas às questões de espiritualidade? Quais os que se beneficiam da fé? Quais os que usam os magníficos recursos da ligação com Deus ou buscam refletir sobre as maravilhas da criação ou a imensidade do Universo onde vivemos?

O que você acha? Não arrisco números, mas acho que o leitor concorda comigo que é uma porcentagem muito baixa. A maioria vive por viver, sem buscar nada, sem conhecer ou meditar sobre as belezas que nos cercam. Temas como Vida após a Morte, Imensidade do Universo, Maravilhas do Mundo Espiritual, Perspectivas futuras de evolução ou outros, parece-nos totalmente distantes dessas pessoas que não buscam esses valores.

E isto, caro leitor, faz falta. Isto pesa na economia do planeta. Não se trata apenas de um conhecimento individual, mas que influi nas condições do planeta. Com a ausência dessas perspectivas, há um crescimento da descrença. Com esta vem a violência, o pessimismo, alterando o próprio psiquismo do planeta.

Da mesma forma como usamos os modernos recursos tecnológicos da atualidade, a busca de mais espiritualidade tem valor preponderante na melhora do quadro geral no planeta. Sim, porque através de valores reais, aparentemente invisíveis, influenciamos o ambiente, ajudamos as criaturas e podemos, com eles, transformar a realidade.

E isto não está ligado especificamente a nenhuma denominação religiosa. Não se trata de questão religiosa, mas de comportamento individual. De vibração pessoal, postada na esperança, na fé, na busca de Deus. No cultivo de valores espirituais, independente de crença religiosa, inerentes à criatura humana, como filho de Deus. São valores que todos possuímos, mas que são sufocados pela ambição desenfreada, pelo gozo irresponsável e inconsequente, pela valorização excessiva dos bens materiais.

A busca de valores espirituais alimentam a alma. O cultivo deles joga longe a descrença, o desânimo, a violência. Apesar das lutas imensas da sobrevivência ou dos atritos cotidianos (em todos os níveis), inevitáveis – diga-se de passagem, estaremos todos muito mais fortalecidos para estas lutas. Quem possui ou os busca está distante da perfeição, mas os tem como valorosos instrumentos para enfrentar as dificuldades. E esta aquisição, de conquista e mérito individuais, modifica as circunstâncias. Lembre-se o leitor o quanto é bom conviver com pessoas bondosas, compreensivas, verdadeiramente humanas, que tudo fazem em favor daqueles que com elas convivem. Agora imagine uma consciência coletiva, onde todos busquem cultivar esses valores. Teremos uma sociedade modificada, melhorada, realçando valores essenciais da existência humana.

Portanto, verificamos aí o quanto é importante na vida o cultivo de uma religião.

Seja qual for, ela é o alimento de tua alma. Ela é o caminho para a busca da espiritualidade. É justamente através dela que você, leitor, encontrará o roteiro para buscar os valores espirituais. E se isto faz tão bem, como negá-la aos filhos? Como permanecer indiferente, deixando que eles, ao crescerem, decidam por si mesmos, qual caminho tomar? Perguntamos a eles se querem ser alfabetizados, se querem ir ao dentista, ao médico? Não, levamos e pronto. Os valores espirituais também são assim. Desde casa, desde cedo, ensiná-los a orar, a buscar a Deus através da fé e do bem. E desde cedo também, encaminhá-los ao templo de nossa fé. As riquezas do Evangelho são tesouros de Deus doados a seus filhos. E para serem usados, não para serem guardados. Usados no dia-a-dia, para que aprendamos, buscando mais espiritualidade em nossa vida ...

Gentileza do Sr. Orson Peter Carrara - "Revista Internacional de Espiritismo" - "Casa Editora O Clarim".



Retornar à Página Inicial