A R T I G O S




XIII- O QUE VOCÊ ESPERA?

Às vezes, ouço dizer: "Morreu, acabou!" ou "Onde está Deus, que dá preferência para uns e esquece outros?". Ou ainda: "Estou esperando a hora para sentar-me à direita de Deus". São frases que denotam certa descrença e no caso da última delas até uma certa ingenuidade. Vamos pensar nelas.

1)No caso da primeira delas, Morreu, acabou!, pensemos bem como ela não tem qualquer fundamento. Imagina mesmo o leitor que tudo se acaba com a morte do corpo? Mas, então, qual a finalidade de viver? Teríamos sido criados para a morte? Estamos neste mundo, de tantas belezas e contrastes, para ao final de alguns anos sermos destruídos? Como conciliar esta visão de descrença e pessimismo com a abundância de fatos, argumen- tos e razões indiscutíveis que escancaram a vida, sua beleza, mostrando a Vontade Suprema de um ser que tudo criou visando a felicidade de seus filhos?

Nos momentos de abatimento, meu caro, levante os olhos. Observe as estrelas, sinta o perfume das flores, ouça o canto dos pássaros, pense no valor da água e do ar, da brisa ou observe atentamente uma criança. Você verá a mensagem da vida e do amor, da esperança e da alegria, apesar dos imensos contrastes encontrados no mundo.

Acima da mediocridade de nossos dias, existe vida abundante! Após a morte do corpo cansado ou doente, existe a vida, muito mais aperfeiçoada e feliz do que a que vivemos aqui. Vida cheia de atividade, visando o aprimoramento dos filhos de Deus. Praças, jardins, pomares, casas e palácios, cultura, lazer e fraternidade nos aguardam... Com a diferença de que somente alcançaremos estes estágios com uma vida reta aqui na Terra e ao mesmo tempo, sem antecipar a ida a esses estágios superiores.

Na verdade, nada se interrompe com a morte. Apenas deixamos um corpo velho ou doente, para continuarmos nossos caminhos de aprendizado.

2)"Onde está Deus, que dá preferência para uns e esquece outros?". Esta frase também está equivocada. Tenho ouvido-a com certa frequência. Deus é bom, mas também é justo. Como Pai Perfeito, jamais poderia dar preferência para uns em detrimento de outros filhos. O que ocorre é que estamos todos colhendo os frutos das próprias ações, nesta ou de outras existências. Cada pessoa está exatamente no estágio que alcançou, que conquistou com seus próprios esforços, mérito individual, portanto. Ninguém está abandonado ou esquecido. A todos, Deus atende com sua solicitude e bondade, mas como Lei estabeleceu que colhamos o que plantamos anteriormente, a fim de que cada um adquira experiência em suas ações e comportamentos. É a única maneira de cada um aprender a valorizar a própria vida, as oportunidades e circunstâncias. As situações de extremos encontradas no planeta são de responsabilidade de seus próprios habitantes. Cada um encontra o que fez para si mesmo. Nada de preferências. Apenas justiça, com bondade, porque todos são amparados.

3)"Sentar-se à direita de Deus!". Convenhamos que há certa ingenuidade nesta frase. Somos ainda muito pequenos para termos esta pretensão. Há muito ainda o que aprender e evoluir. Deus, em sua grandeza, está muito acima de pretensões infantis. E leve-se em conta ainda que Deus não fica sentado. Deus está sempre trabalhando pelos seus filhos e seria uma "canseira" esta paradeira de ficar sentado ao lado direito para observar os demais. Quem aguentaria?

O que esperamos da Vida? Pensemos mais sobre o assunto ...

Gentileza do Sr. Orson Peter Carrara - "Revista Internacional de Espiritismo" - "Casa Editora O Clarim".



Retornar à Página Inicial